5 romances para ler em Fevereiro

14.2.19



No ano passado decidi trazer-vos as minhas histórias de amor favoritas no mundo da ficção, e este ano resolvi sugerir cinco romances perfeitos para este mês dedicado ao amor. Penso que é necessário informar novamente os leitores desse lado que sou uma grande apologista desta espécie de feriado capitalista, não pelo consumo desenfreado mas pela oportunidade de ter um dia especial onde oferecemos (ainda mais) amor e carinho à nossa pessoa favorita.

Posto isto, estas recomendações de romances não servem apenas para o Dia de S. Valentim, mas também para o tema do mês do nosso The Bibliophile Club, que em Fevereiro foi dedicado, sim, aos romances e sobre o qual podem saber tudo aqui.




1. The Hating Game (2016), por Sally Thorne


Muito amor para este livro. Esta história incrível já está incluída na minha lista de favoritos para 2019 e tenho que agradecer, sem sombra de dúvidas, à Bia pela recomendação. Li este livro numa tarde, ainda no final de Janeiro, e é o romance perfeito para quem adora aqueles casais que começam por odiar-se e acabam extremamente apaixonados um pelo outro. É hilariante, tem algumas cenas um pouco eróticas (deixo aqui o aviso porque nem todos os leitores gostam desse tipo de enredo) e, de forma geral, acaba por ser uma história de amor viciante que recomendo a toda a gente.

Em jeito de resumo, Lucy e Joshua são colegas de trabalho e desde o início que não se suportam. As suas secretárias estão em frente uma da outra e os dias são passados com provocações, jogos e outras tácticas que têm como único objectivo irritarem-se um ao outro. As linhas que separam o ódio e o amor são sempre muito ténues, e aquilo que parece ser uma obsessão pelo quotidiano um do outro transforma-se rapidamente em algo mais. Se gostam de histórias de amor que começam com ódio, este é o livro indicado para vocês. 

A capa em português deixa muito a desejar, mas não se deixem enganar. É um bestseller delicioso. 


2. Um Bom Partido (2018), por Curtis Sittenfeld


Este livro foi uma surpresa agradável e um daqueles romances que nos fazem passar um bom bocado. Orgulho e Preconceito (1813), de Jane Austen, é uma das minhas histórias de amor favoritas e este livro é precisamente uma versão moderna do clássico. Não posso dizer que seja o melhor livro de sempre, mas acho que para qualquer fã incondicional de Austen vale a pena por ser divertido e incrivelmente contemporâneo. Nunca esperei alguma vez ler Lydia e dildos na mesma frase (não se assustem, não é gráfico e esquisito, só extremamente moderno... e talvez um pouquinho estranho), mas não me estou a queixar. 

Chip Bingley é a estrela de um reality show chamado "Bons Partidos". Depois de tentar encontrar o amor e falhar redondamente, este conhece Liz Bennet, a irmã mais velha de uma família com demasiadas filhas, problemas económicos e dois pais extremamente desagradáveis. Darcy é neurocirurgião e amigo de Chip; na noite do 4 de Julho, conhece a família Bennet e não fica propriamente encantado - o que não surpreende ninguém. Se quiserem saber mais, vão ter que ler este romance. A autora acaba por modificar algumas coisas, mas é tudo praticamente igual à história original. 


3. The Kiss Quotient (2018), por Helen Hoang


Não gostei tanto deste livro como dos primeiros dois, mas achei na mesma uma história curiosa e interessante. Recentemente foi traduzido em Portugal com o nome A Fórmula do Amor, das Edições Chá das Cinco, pelo que está a ser muito falado no bookstagram português. Tem ainda mais cenas eróticas do que o The Hating Game, atenção, mas é também uma história de amor que foge aos estereótipos ao mesmo tempo que, de uma forma leve e divertida, nos oferece um pouquinho de representatividade no mundo da literatura. Penso que a premissa deste livro, que é a de "aprender a ser a namorada perfeita", é a escolha ideal para qualquer pessoa que goste de romances do tipo chick-lit. No entanto, eu estava à espera de uma personagem que abordasse mais a matemática e as estatísticas - algo que está introduzido no título - e acabou por se afastar muito disso. Ainda assim, gostei do romance. Li-o em tipo quatro horas. Yeeeeep

Stella tem Síndrome de Asperger e acaba por ter imensa dificuldade em relacionar-se com pessoas. É muito mais fácil para ela entregar-se aos números num emprego extremamente bem pago onde cria algoritmos para prever as compras dos consumidores. Com o objectivo de aprender a estar numa relação e a ser a namorada perfeita, Stella contrata um acompanhante de luxo, Michael Phan. O que começa com uma noite de lições apaixonantes depressa começa a ser algo mais. Estas duas personagens, tão opostas uma da outra, acabam por se aproximar, equacionando (ehhhh see what I did there?) numa bonita história de amor. 



4. 99 Percent Mine (2019), por Sally Thorne

Ainda não li este livro, que saiu apenas há algumas semanas e ainda nem sequer está traduzido para português. No entanto, o facto de eu ter ficado tão apaixonada por Sally Thorne em The Hating Game faz com que o seu novo romance esteja nestas sugestões com a plena confiança de que vou gostar e querer recomendar mais tarde. É este o nível a que estou na minha relação com a autora, conseguem perceber? Recomendar um romance sem ainda não o ter lido é algo novo para mim. No entanto, mantenho-me com a minha decisão e acho que deviam confiar em mim. Beijos. 

Neste romance, o ódio é substituído pela crush, aquele sentimento que nutrimos por alguém que, na grande maioria das vezes, está muito longe do nosso alcance. Darcy (adoro quando autores usam nomes masculinos em personagens femininas) sempre teve uma paixoneta por Tom, o melhor amigo do seu irmão gémeo Jamie - o que significa que Tom está absolutamente fora de questão, por razões óbvias. Quando os dois irmãos recebem de herança da avó uma casa de campo, cujo objectivo é restaurar e vender, Darcy volta a encontrar Tom, solteiro pela primeira vez numa década e ainda mais irresistível. E ela percebe rapidamente que não consegue fugir, e a crush que sentia por ele volta em grande. Amores de infância, não é? São adoráveis. Preciso deste livro na minha vida (!!!)


5. A Court of Thorns and Roses (2015), por Sarah J. Maas

Mais especificamente o segundo livro da saga, A Court of Mist and Fury (2016). Não era a mesma coisa se eu não recomendasse aquela que eu considero a grande autora de romances fantásticos, especificamente para quem adora uma boa história de amor num mundo paralelo, com criaturas sobrenaturais e um enredo altamente perigoso, mágico e poderoso. Não posso dar spoilers para quem ainda não leu a trilogia, mas posso garantir que vale a pena. Não sei o que se anda a passar comigo ultimamente, mas este livro também tem cenas eróticas 😂, sooooo.... Sorry, not sorry. 

Eu já falei brevemente desta saga noutras publicações no blogue, como aqui e aqui. Infelizmente, esta saga ainda não foi traduzida para Portugal, algo que considero ser uma grande perda, mas oh well

A Court of Frost and Starlight (novella)






Feliz Dia de S. Valentim a todos. Não se esqueçam que celebrar o amor não é só assim, através de compras e restaurantes fancy. O amor também existe nos amigos. Na família. Mais importante, em nós mesmos. Se não gostam ou não podem celebrar o amor desta forma, através do romance, celebrem-no de outra forma. Sejam felizes, à vossa maneira


SEGUE-ME NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • Youtube  Twitter • Pinterest 

2 comentários

  1. Sugestões de livros são sempre um aconchego bom no coração *-*
    Confesso que não li nenhum da tua lista, mas tenho imensa curiosidade em relação a Um Bom Partido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que adoras "Orgulho e Preconceito" como eu, por isso acho que vais gostar de "Um Bom Partido". Não é nada de outro mundo, mas é divertido e uma forma interessante de recriar a história de Jane Austen :)

      Eliminar

Instagram: @soniaropinto

© by the library. Design by FCD.