2019, que sejas em forma de trevo de quatro folhas

2.1.19



Perdi a conta da quantidade de publicações (e vídeos) que criei acerca do final de ano e de tudo aquilo que se passou em 2018. Presumo que às vezes seja bom começar um novo ciclo com honestidade, e é precisamente dessa forma que começamos 2019 por aqui. Não vamos ter o top dos melhores livros do ano. Não vamos ter bucket list para 2019. Nem sequer vamos ter um throwback às melhores memórias do ano passado - tudo coisas que cheguei a fazer anteriormente aqui no blogue. A única coisa que vamos ter é agradecimentos. E um pequeno descanso antes de continuar a remar contra a maré. 


Nem só de listas de favoritos se faz um blogger. Nem todos os bloggers têm um óptimo ano e excelentes memórias para partilhar, e isso é simplesmente a prova de que todos somos humanos e distintos entre nós. Lamento imenso, mas não consigo olhar para 2018 com um bocadinho que seja de positivismo, apenas o orgulho que sinto em mim mesma ao ter a noção que foi mais uma daquelas etapas em que provei que sou mais do que aquilo que vejo no espelho. De todas as vezes que comecei a escrever retrospectivas do ano que passou, não deixei de sentir o quão aborrecida e dramática a minha escrita estava a ser, pelo que acabei por pôr tudo de parte e simplesmente desligar. 

A verdade é que 2018 foi um ano de merda. Não foi apenas merda, foi daquela merda que nos faz crescer. Mas foi só para isso que serviu: para crescer. Para mostrar resiliência. Para tornar a carapaça mais dura e mostrar-nos que se consegue dar um passo em frente quando temos medo de andar. E isso é do caraças, eu sei. É um motivo de orgulho, como disse mais acima, e é motivo para suspirar bem fundo, virar as costas ao que se passou e dizer "siga, venha mais merda que eu aguento". 

Todavia, e ainda assim, foi um ano parado. Gravei um vídeo com os 8 livros favoritos do ano, mas a verdade é que não gostei de nenhum deles assim tanto ao ponto de dizer que mudaram a minha vida. Acabei por não gostar do resultado porque me faltava alma a explicar o porquê de ter gostado deles. Pensei nos melhores momentos de 2018 e não consegui pensar em nenhum porque, tirando acabar de escrever a maldita da tese, não aconteceu absolutamente mais nada de fascinante. Foi um ano pura e simplesmente aborrecido. E isso não é blogger material. Por isso não acho que seja merecedor de várias publicações, resoluções de novo ano e um entusiasmo gutural para 2019. 

Não saí de 2018 assim, tampouco assim entrei em 2019. 

Não vos vou dar todos os pormenores do porquê deste texto todo deprê. Mas posso dizer-vos com o que estou agradecida, de forma muito sucinta e sem grandes alaridos. Talvez com este mini resumo consigam entender tanto a dificuldade em ultrapassar certas coisas, ou o orgulho que senti em mim mesma. Talvez seja essa mesmo a palavra de 2018: amor próprio, já que finalmente apareceu e começa a ter vontade de ficar. Mas, ainda assim, aqui fica o bom no meio do difícil:

  • Desculpem ferir sensibilidades com tanto calão e asneiras nesta publicação, mas dei um pontapé no cu da depressão e da ansiedade. De vez em quando elas levantam-se e voltam, mas já não são elas que me dão o pontapé a mim. Foram muitos meses, muito esforço e muita coragem, mas foi este o maior feito de 2018. 
  • Escrevi a tese. Entreguei a tese. Escrevi mais de 100 páginas para um projecto que cheguei a odiar, mas que consegui escrever e cujo mérito não vai para lado nenhum se não para mim. 
  • Cresci. Mais calma, mais forte, mais corajosa, mais Sónia como já não me sentia há anos. 
  • Ofereci finalmente ao blogue o propósito que sempre quis. Tornei-o ainda mais literário, ainda mais meu. 
  • Fiz o meu primeiro vídeo para o Youtube. E nem sequer quero saber se ainda só fiz um. Mais uma vez, dei um pontapé no cu da ansiedade e gravei. E espero gravar muitos mais. 

Não fiz a minha primeira viagem. Não arranjei emprego. Ainda nem sequer defendi a tese, algo que eu já esperava ter feito ainda em 2018. Não li assim tantos livros, nem sequer comprei assim tantos livros. Não conheci sítios novos, e não tenho assim tanto dinheiro para conhecer sítios novos. Ainda há centenas de coisas que quero fazer, metas a atingir e objectivos a cumprir. Mas 2018 não foi, definitivamente, o ano onde realizei todas essas coisas. Foi um ano importante. Um ano muito difícil (com coisas que não foram inseridas aqui porque são demasiado pessoais), mas um ano que me desafiou de todas as maneiras e mais algumas. E que me preparou para 2019.


via pinterest

Tranquilidade, "logo se vê" e força de vontade: a definição para o novo ano


Prometi que ia ser honesta. 

E ser honesta passa por admitir que mesmo com esta lenga-lenga de crescimento e coragem, continuo tão aterrorizada com o que vem aí como no ano passado. Mas estou muito mais tranquila em relação a essa sensação do que estava anteriormente. Consigo agora entender que não somos todos feitos de aço e que o mundo precisa de mais pessoas que consigam admitir as suas fragilidades. Depois de todos estes meses de self-love e construção interior, opto por acreditar que 2019 vai ser o meu ano em trevo de quatro folhas e que todas as coisas com as quais me sinto absolutamente cagadinha de medo (hoje é publicação mesmo à portuguesa, desculpem) vão acabar por funcionar como tiver que ser. 

2019 vai ser o ano em que me vou tornar mestre em Jornalismo. Vai ser o ano onde vou arranjar o meu primeiro emprego e onde vou conseguir, finalmente, começar a organizar a minha vida financeiramente, pessoalmente e todos os -mentes que possam imaginar. 

2019 vai ser o ano onde este blogue vai continuar a funcionar sem desculpas. Não há teses nem universidades nem bombas atómicas suficientes que me afastem novamente deste meu cantinho que eu tanto estimo e que já tem 2 anos. Vai ser o ano do clube literário The Bibliophile Club, onde vou espalhar mais amor por livros no coração de muitas mais pessoas. Vai ser um ano do caraças a nível de blogue, e não podia estar mais feliz por tudo o que certamente vai acontecer. 

2019 vai ser o ano onde vou finalmente sentir os frutos de tudo aquilo que conquistei no ano passado. O ano onde vou provar a mim mesma que houve uma razão para tudo. Sabem quando estão naquelas fases mesmo estúpidas, onde questionam o porquê, só para, às vezes muuuuito mais tarde, terem a vossa resposta? Tenho a certeza que vai ser algures durante este ano que vou obter as minhas respostas. É um feeling de drama queen? Provavelmente. Mas um que veio para ficar. 

A todos vós, queridos leitores. Espero que o vosso 2019 seja tão cheio de coisas boas como o meu certamente irá ser. Que entre aí desse lado uma luz cheia de positivismo, força de vontade e felicidade. Let's kick some ass together. E o resto? Logo se vê. Sem problemas. 

Um bom ano para todos. ❤


SEGUE-ME NAS REDES SOCIAIS 
Facebook • Instagram • Youtube • Twitter • Goodreads

10 comentários

  1. Há anos assim, que nos absorvem pela sua falta de positivismo. Mas, por mais difícil que seja, há sempre aspetos a destacar. E acredito que é a esses que temos que nos agarrar com toda a força que habita em nós. A quantidade pode ser pequena, mas a essência de cada etapa que faz a diferença.
    Espero, de coração, que 2019 seja um ano do caraças. Que chegues ao fim e sintas que aconteceu tanta coisa maravilhosa que o difícil será escolher as melhores para resumir. Que seja um ano cheio de luz, de conquistas e de muito amor - próprio, fundamentalmente.
    Tu mereces <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, muito obrigada pelas tuas palavras Andreia. Espero mesmo que seja um ano melhor, um ano de felicidades e motivos para sorrir. Não só para mim, mas para ti também :)

      Eliminar
  2. Há anos mesmo de merda, mas vá, sem querer dizer a minha típica frase de "temos de ver as coisas boas", teve mesmo de ser assim. E é mesmo como dizes, em 2019 terás as respostas às perguntas que não te foram respondidas ainda. Acredito que se te empenhares mesmo a sério e acreditares que este ano será diferente, ele irá ser sem sombra de dúvidas. Que 2019 te presencie com tudo o que mereces e sonhas. beijinho grande <3 (P.S.: adorei a publicação brutalmente honesta ahah)

    www.bycarolina.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, tenho mesmo a sensação que 2019 vai ser um ano muito melhor do que 2018. A minha energia, só por si, já é muito mais diferente e positiva. Não vou deixar que aconteça a mesma coisa que em 2018. Obrigada, Carolina. E vou continuar a ser sempre brutalmente honesta por aqui :p

      Eliminar
  3. Que bom que haja alguém como tu que vem desmistificar todo esse mito de que tudo o que pomos na internet tem de ser algo positivo. Não, temos de por no nosso blogue aquilo que nos representa e se passamos por uma fase menos boa não temos de fingir que foi incrivel. Todos temos o direito de passar por momentos mais tristes e que nos deitam abaixo, somos todos humanos.
    Tenho a certeza de 2019 será um ano melhor! Força de vontade parece-me que não te falta e isso é meio caminho andado.
    Conheci agora mesmo o teu blogue, mas prometo que em 2019 vou visitar este cantinho muito mais vezes, porque gostei muito dele.

    Beijinhos e bom ano,
    dreamcatcherblog2.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tento sempre ser o mais honesta possível em tudo o que escrevo. Acho que acabamos por ser verdadeiramente autênticos se mostrarmos que não é só flores e unicórnios deste lado. Não precisamos de dar muitos pormenores nem invadir a nossa privacidade para o fazer, basta simplesmente afirmar que não é tudo maravilhoso.

      Muito obrigada pelas tuas palavras. Espero que 2019 também seja absolutamente fantástico para ti :)

      Eliminar
  4. Parabéns pelas conquistas de 2018, que não me parece que foram tão poucas assim, afinal focaste-te mais em ti e isso, querida, é das melhores coisas que podias ter feito. O amor próprio, penso que é um grande passo para o resto da tua vida.
    Para 2019, espero que os teus desejos sejam concretizados, se não forem todos, pelo menos a maior parte deles. Acredita em ti, sempre! Também sinto que este será um bom ano <3
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mary, és sempre tão doce em tudo aquilo que dizes por aqui. Obrigada! É simplesmente aquela sensação que passámos por algo importante, mas que ainda assim podíamos ter feito/vivido/sentido mais. Mas acredito que por muito estúpido que tenha sido 2018, valeu a pena.

      Obrigada e igualmente, espero que seja um 2019 maravilhoso para ti <3

      Eliminar
  5. E, com toda a certeza, encontrarás as tuas respostas!! Percebo essa parte tão bem... Estes meus últimos anos foram uma avalanche de contratempos, momentos de revolta e uma paz pelas coisas que ganhei com esses desvios da vida! Vai valer a pena, Soninha, sempre! 💝
    E fica aqui a oportunidade de me expressar e dizer que te admiro muito! A ti e a tantas mais, e a tua escrita está cada vez mais cativante, apaixonante, pessoal! Tenho a certeza que 2019 te dará tréguas, por muitas merdas que venham por aí!
    You rooooock! 💫

    Beijo grande,
    LYNE, IMPERIUM BLOG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohnnnnnn, obrigada minha Lyne <3
      Temos mesmo que remar contra a maré, dar a volta e fazer o futuro ainda melhor que o nosso passado :) É nisso que acredito e que pretendo transformar numa espécie de mantra todos os dias. Muito obrigada pelas tuas palavras. E um maravilhoso 2019 para ti também! <3

      Eliminar