11.12.18

O Poder | Naomi Alderman



É muito raro dar uma review negativa a um livro. Tenho por hábito ler uma obra não só como leitora, mas também enquanto escritora, pelo que consigo sempre apreciar certos pontos que, de outro modo, me seriam indiferentes. No Goodreads, por exemplo, só classifiquei 10 livros com duas estrelas e 3 livros com uma estrela apenas. O Poder (2016), não pertencendo a nenhuma das categorias anteriores, acabou por receber três míseras estrelas na minha avaliação. Em grande parte, foi daquelas histórias com imenso potencial que, no final, acabam por não ser mais que uma verdadeira desilusão.


7.12.18

5 razões para adorar o Natal



Desde pequena que sou uma eterna apaixonada pelo espírito de Natal. Reviro os olhos a todas as pessoas que me apontam o consumismo excessivo e o capitalismo que se aproveita de épocas criadas apenas com o intuito de serem proveitosas a nível económico, blá blá blá. Quem retém a verdadeira essência desta época sabe que o Natal não se baseia - nem de perto - nisso. Sou a menina das grandes árvores com muitas decorações e ornamentos, das playlists da Mariah Carey e Michael Bublé, daqueles adereços para meter na cabeça com cornos de rena ou gorros de Pai Natal. Acho que nunca disse aqui directamente o porquê de adorar tanto esta época. Suponho que está na altura de vos dar 5 razões para adorarem comigo. 

6.12.18

Homens sem Mulheres | Haruki Murakami

Quioto, Japão


Este livro, originalmente publicado em 2014 e trazido para Portugal em 2017, foi a minha viagem de volta a Murakami, anos depois de Sputnik, Meu Amor (1999), o livro com que estreei o autor. Não houve uma razão em particular para me ter afastado dele em primeiro lugar; os meus gostos literários derivaram para outros géneros e as obras deste escritor contemporâneo ficaram para trás, simplesmente. Pedi emprestado Homens sem Mulheres para saber se a minha opinião continuaria igual. Confesso que pouco mudou passados estes anos. 

4.12.18

TBR de Dezembro e os livros mandatórios para qualquer Natal


Ah, o último mês do ano. Provavelmente o meu favorito de sempre. Sou um verdadeiro cliché no que toca ao querido Dezembro. Menina do Natal, apaixonada por listas, compromissos e resoluções, uma transição promissora para o ano que se avizinha, enfim. A partir do primeiro de Novembro já estou pronta para começar a rodar as playlists do Youtube à procura dos clássicos natalícios. 

Simultaneamente, também estou pronta para certas leituras (e filmes) propícias a esta época. Há uma certa saga que é sempre mandatória nesta altura, mas não só; Dezembro é o mês das últimas leituras, relacionadas com o Natal ou não, o que acaba por trazer sempre um entusiasmo muitas vezes confundido com puro terror porque queremos ler mais e mais e mais e mais. Não? Sou só eu? Tudo bem. Ainda assim, vamos falar sobre as minhas leituras de Dezembro. Com direito a jingle-bells e tudo.

11.12.18

O Poder | Naomi Alderman



É muito raro dar uma review negativa a um livro. Tenho por hábito ler uma obra não só como leitora, mas também enquanto escritora, pelo que consigo sempre apreciar certos pontos que, de outro modo, me seriam indiferentes. No Goodreads, por exemplo, só classifiquei 10 livros com duas estrelas e 3 livros com uma estrela apenas. O Poder (2016), não pertencendo a nenhuma das categorias anteriores, acabou por receber três míseras estrelas na minha avaliação. Em grande parte, foi daquelas histórias com imenso potencial que, no final, acabam por não ser mais que uma verdadeira desilusão.


7.12.18

5 razões para adorar o Natal



Desde pequena que sou uma eterna apaixonada pelo espírito de Natal. Reviro os olhos a todas as pessoas que me apontam o consumismo excessivo e o capitalismo que se aproveita de épocas criadas apenas com o intuito de serem proveitosas a nível económico, blá blá blá. Quem retém a verdadeira essência desta época sabe que o Natal não se baseia - nem de perto - nisso. Sou a menina das grandes árvores com muitas decorações e ornamentos, das playlists da Mariah Carey e Michael Bublé, daqueles adereços para meter na cabeça com cornos de rena ou gorros de Pai Natal. Acho que nunca disse aqui directamente o porquê de adorar tanto esta época. Suponho que está na altura de vos dar 5 razões para adorarem comigo. 

6.12.18

Homens sem Mulheres | Haruki Murakami

Quioto, Japão


Este livro, originalmente publicado em 2014 e trazido para Portugal em 2017, foi a minha viagem de volta a Murakami, anos depois de Sputnik, Meu Amor (1999), o livro com que estreei o autor. Não houve uma razão em particular para me ter afastado dele em primeiro lugar; os meus gostos literários derivaram para outros géneros e as obras deste escritor contemporâneo ficaram para trás, simplesmente. Pedi emprestado Homens sem Mulheres para saber se a minha opinião continuaria igual. Confesso que pouco mudou passados estes anos. 

4.12.18

TBR de Dezembro e os livros mandatórios para qualquer Natal


Ah, o último mês do ano. Provavelmente o meu favorito de sempre. Sou um verdadeiro cliché no que toca ao querido Dezembro. Menina do Natal, apaixonada por listas, compromissos e resoluções, uma transição promissora para o ano que se avizinha, enfim. A partir do primeiro de Novembro já estou pronta para começar a rodar as playlists do Youtube à procura dos clássicos natalícios. 

Simultaneamente, também estou pronta para certas leituras (e filmes) propícias a esta época. Há uma certa saga que é sempre mandatória nesta altura, mas não só; Dezembro é o mês das últimas leituras, relacionadas com o Natal ou não, o que acaba por trazer sempre um entusiasmo muitas vezes confundido com puro terror porque queremos ler mais e mais e mais e mais. Não? Sou só eu? Tudo bem. Ainda assim, vamos falar sobre as minhas leituras de Dezembro. Com direito a jingle-bells e tudo.

Latest Instagrams

© by the library. Design by FCD.