23.10.18

"To all the Boys I've Loved Before" | Jenny Han

Portland, Oregon, EUA


Assim que planeei voltar ao blogue, soube que falar sobre esta trilogia era uma prioridade. Porque, amiguinhos, se houve coisa que me deixou completamente obcecada este Verão, foi definitivamente a história de amor entre Lara Jean e Peter Kavinsky. "To all the Boys I've Loved Before" não é uma novidade na blogosfera - muito menos na literária - mas é, ainda assim, algo que vai ficar registado no meu cantinho, expectations be damned. 

Esta review vai ser uma opinião dos três livros, "P.S. I Still Love You" e "Always and Forever, Lara Jean" incluídos. Se, por algum milagre ou escolhas de vida, ainda não leram nenhum dos três ou apenas o primeiro, lamento informar que esta review vai conter spoilers. Se não quiserem saber ou estiverem incluídos no grupo de pessoas que viciou no Kavinsky, continuem comigo. 



"To All the Boys I've Loved Before" (2014)


Hoje é dia de curiosidades aleatórias aqui no blogue! Sabiam, caros leitores, que o primeiro livro da trilogia de Jenny Han se tornou um dos meus favoritos no género young adult? *inserir a voz daquele senhor do programa do Fernando Mendes que apresenta os prémios* Impressionante! 

Agora falando a sério. A Lara Jean é uma jovem americana, de ascendência coreana, que escreve cartas de amor para todas as suas paixões não correspondidas. As cartas são ~misteriosamente~ enviadas para todos os rapazes, sendo um deles o ex-namorado da irmã mais velha, Josh. Em pânico, e porque não quer lidar com toda a situação do gostei-do-namorado-da-minha-irmã-socorro, Lara Jean decide beijar em público o Peter Kavinsky, mais conhecido como uma das paixões dela na altura da escola básica. Resultado? Ambos concordam em fingir namorar com o objectivo de afastar o Josh de todas e quaisquer perguntas, ao mesmo tempo que fazem ciúmes à ex de Peter. 

Toda a gente sabe como isto acaba. E é das coisas mais fofinhas que já li. 

Adorei a relação das três irmãs, de forma geral, ainda que me tenha apaixonado absolutamente pela Kitty, a irmã mais nova. A forma como o Peter foi concebido está, well, deliciosa 😏, apesar de ele me irritar um bocadinho no livro seguinte. E, não sei, acho que é daquelas histórias de amor de escola que acaba por ser mais que isso e nos oferece uma personagem principal extremamente bem escrita, que ou é muito tímida ou muito arrojada, mostrando várias camadas de personalidade e não apenas um ou dois traços característicos. 

AND THEY'RE JUST SO CUTE. LIKE. Nem sei explicar. Conquistaram-me, apenas.


Na minha conta de Instagram, @soniaropinto, podem contar com mini reviews como estas à medida que vou acabando os livros. Já me seguem por lá? 🙆

P. S. I Still Love You (2015)


A partir daqui a minha opinião muda ligeiramente. Eu digo isto, mas eu li os três livros em três dias, não propriamente pelo enredo em si, mas porque a Lara Jean e o Peter Kavinsky são dos casais literários mais adoráveis de sempre. Mas a partir deste livro e até ao terceiro, fico com a sensação de que, mesmo sendo bem escritos, acabaram por ser um pouco forçados e que a história ficaria muito mais bem concebida pegando num bocadinho do segundo livro e inserindo-o no primeiro.

Neste livro, o Kavinsky dá-me alguma raiva. Apetece sentar-me ao lado dele e gritar-lhe ao ouvido "WAKE THE FUCK UP" porque ele está muito confuso e acaba por magoar a Lara Jean em várias situações. Então vamos ter ciúmes do John Ambrose mas continuamos a mentir à nossa namorada quando na realidade estamos a conversar com a Genevieve? Ahm... Não.

Estou aqui muito dramática a falar de duas personagens como se fosse um caso da vida real, mas a realidade é que este livro frustrou-me muito em alguns pontos. Talvez por ser tão... Honesto. Porque se pensarmos bem toda esta confusão de romance é típica de um casal adolescente, e eu consigo lembrar-me de alguns rapazes que se comportaram de forma semelhante e, no entanto, não o fizeram por mal, mas apenas porque precisavam de crescer.

O que é que eu fazia com este livro? Agarrava no drama todo, reduzia-o e colocava-o no primeiro. E pronto, ficávamos por aqui. Ainda assim, não posso dizer que não gostei da história, porque gostei. Só achei algumas coisas desnecessárias. Porque sou uma pessoa muito confusa no geral. Deal with it.





Always and Forever, Lara Jean (2017)


Ainda que a opinião do livro anterior se mantenha aqui, mais do que nunca, o que disse em relação ao Peter Kavinsky muda abruptamente e é nesta última parte, talvez, que eu me apaixono mais por este rapaz idiota que conquistou toda a gente. Entre os dois últimos livros há um enorme crescimento desta personagem, e a dedicação e amor que ele tem para com a Lara Jean, aprendendo a lidar com todos os problemas que aparecem, aqueceu o meu coração e deu-me a certeza de que independentemente de os últimos enredos me parecerem forçados, acabaram por formar uma trilogia que estará sempre nas minhas favoritas. Volto a reforçar que sou uma pessoa confusa no geral, sim.

Em "Always and Forever, Lara Jean", exploram-se temas como a ida para a universidade, a relação à distância e o início da vida sexual. É definitivamente o livro mais maduro dos três, e é também aquele que nos mostra uma Lara Jean no seu momento mais inseguro. Paralelamente, é o livro onde se aborda mais a questão da família, as segundas relações depois de uma mãe ou um pai terem morrido, e como isso pode afectar os filhos.

Não consigo deixar de reforçar que é, no entanto, o livro mais forçado desta série. É uma opinião que é sentida por muita gente, mas que não deixa de dar à trilogia o estatuto de uma das melhores histórias de young adult "deste ano" (digo este ano porque voltou a ser extremamente popular com o filme da Netflix que, uhum, vai ser abordado com certeza aqui no blogue porque o Noah Centineo existe para nós, só).


COMPRA AQUI OS LIVROS EM PORTUGUÊS*:
Agora e para Sempre


* O By the Library é um blogue afiliado da Wook; ao adquirirem estes livros através dos links fornecidos, estão a contribuir com uma pequena percentagem para mim, potenciando o crescimento do nosso cantinho. Por mais leituras!



SEGUE-ME NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • Twitter • Pinterest

4 comentários

  1. É uma trilogia que tenho em espera, porque achei a ideia muito original :)
    «A realidade é que este livro frustrou-me muito em alguns pontos. Talvez por ser tão... Honesto», acho que esta verdade é essencial!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia é de facto muito original e a trilogia vale a pena. Depois quero saber o que achas! :)

      Eliminar
  2. Concordo com TUDO!!!! Acho até que já te tinha dito isto, mas digo outra vez: para mim o 2.º livro resumido dava mais uns capítulos para o primeiro. E o terceiro, sinceramente, esperava que se passasse já na universidade. Portanto podia ser o 1.º e o 2.º juntos, o 3.º passava a segundo, com mais qualquer coisa lá no meio, e depois havia um terceiro já mais para o final da universidade! AHAHAH Mas, lá está, adoro a trilogia de morte e estou mesmo feliz por teres adorado também!!!


    A Sofia World

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. We're definitely on sync, girl! 😎 Mas sim, a organização da trilogia podia ser feita de forma diferente e ser antes dois livros. No entanto, amo os três livros e se tivesse que voltar atrás, como pirosa cliché que sou, leria tudo tal e qual sem problema! Peter Kavinsky all the way, ahahah!

      Eliminar

Latest Instagrams

© by the library. Design by FCD.