1.1.18

Top 13 em 2017, porque a minha vida não é tão interessante para ter 17



Afinal encontrei um tempinho para reflectir sobre o ano que passou na sua totalidade e não apenas no que toca a livros. 2017 foi, sem dúvida, um ano de desafios e etapas a ultrapassar. Acima de tudo, acredito que foi um ano importante para me obrigar a ver o bom no meio de tanto mau, pois quem me segue nas redes sociais e leu algumas publicações por aqui sabe que, de alguma forma, tive uns quantos momentinhos difíceis. Assim, decidi fazer uma lista dos momentos inesquecíveis de 2017, 13 para ser mais exacta, porque a minha vida não é assim tão interessante para conseguir fazer o top 17.



1. Passear com o meu namorado pela Baixa de Lisboa

O Daniel é um homem do interior em pleno: cada vez que surge a oportunidade de ir passear a Lisboa, foge a sete pés como o Diabo foge da cruz. Entendo-o até um certo nível, porque depois de um ano a viver em Lisboa enquanto estudava Jornalismo, foi o suficiente para me fazer ver que dificilmente volto a viver na grande capital, preferindo a minha vila semi-isolada em pleno Ribatejo. 

Contudo, no que toca a passear, não consigo fugir das ruas lindíssimas da metrópole, das excelentes condições e da quantidade de monumentos, museus e actividades para ver/fazer. E é nisto que andamos sempre às turras - eu a tentar passear com ele por Lisboa, ele a fugir e a preferir ir para outro sítio qualquer. Em Janeiro, todavia, tive finalmente a minha vitória e fomos numa tarde muito bonita passear pela Baixa, pelo Chiado e por aí fora. Não sei quando consigo convencê-lo a ir lá novamente, mas esse passeio acabou por ser muito divertido. 


2. A despedida de solteira da Marlene em Fevereiro... 

Nunca tinha tido uma despedida de solteira à séria. Foi toda uma experiência que jamais vou esquecer, passando pela sessão fotográfica que fizemos com a noiva e todas as amigas dela, o jantar maravilhoso que comemos no Victoria Stone Hotel em Évora e a oportunidade de ver uma Marlene choramingas e alcoolizada 😂 a chamar pelo noivo porque também ele teve a sua despedida de solteiro na mesma altura. 


3. ... E o casamento da minha Marlene do meu António em Março ❤

Definitivamente o ponto mais alto de 2017: vi uma das minhas melhores amigas a casar-se. E foi talvez a cerimónia mais linda que tive o prazer de assistir. Chorei durante o tempo - nem sei como é que a maquilhagem durou até ao fim - e chorei ainda mais com as variadas surpresas que eles os dois fizeram um ao outro, que a família e os amigos também lhes fizeram, enfim. 

Há algo bastante gratificante em vermos pessoas que nos dizem muito a celebrarem algo que as deixa muito felizes. O casamento da Marlene e do António foi exactamente isso, principalmente por ter visto a relação a nascer e a desenvolver-se ao longo dos anos, um amor muito bonito que perdurou da melhor maneira. 

E não, Marlene, não vale a pena comentares aqui pelo blogue que só falto eu. 😝




4. O Festival Internacional de Balonismo em Coruche

A minha vila é uma coisa semi-isolada e sem gosto 95% das vezes, mas por vezes consegue esmerar-se e trazer actividades interessantes. Equipas um pouco por todo o mundo vieram até ao nosso cantinho escondido no Ribatejo e todos os dias voaram pelos céus com os balões mais excêntricos que possam imaginar - garrafa de licor Beirão, um cornetto da Olá, um homenzinho numa mota gigante, etc. 

Houve quem ganhasse viagens de balão - algo que, infelizmente, não me aconteceu - e também havia a oportunidade de, ao fim do dia, as pessoas subirem para cima de uns balões e usufruírem de uma espécie de mini-subida até aos céus, mas como o clima não estava lá muito famoso, nunca consegui fazer isso mesmo. Ainda assim, para as pessoas que não chegaram a voar num balão, deu para passar um fim-de-semana de sightseeing bastante divertido. 


5. As entrevistas do SHE FOR SHE 

Infelizmente, só fiz quatro entrevistas para esta rubrica aqui pelo blogue. E vocês perguntam: porque é que não continuaste? Porque tive ansiedade e escondi-me nela. As quatro entrevistas resultaram porque eram pessoas que me eram próximas e/ou conhecidas, mas quando começou a aproximar-se a altura de encontrar mulheres corajosas, poderosas e maravilhosas fora da minha zona de conforto, comecei a encolher-me e acabei por não prosseguir. Vocês sabem que não tem sido um ano propriamente fácil em termos de depressão & ansiedade, mas prefiro dizer-vos que esta rubrica se mantém em aberto para continuar num futuro próximo do que desistir dela por completo. 

De qualquer das formas, adorei fazer as quatro entrevistas do SHE FOR SHE. Se quiserem, podem espreitar aqui individualmente cada uma das mulheres maravilhosas que falaram comigo: 
  • A minha Mommy, a que estreou a rubrica em Janeiro;
  • A Liliana, uma das minhas melhores amigas e uma mulher de força, única!;
  • A Sofia, uma mulher lindíssima que adorei fotografar;
  • A Xana, igualmente única e de uma doçura que me fez estar tão à vontade para entrevistar. 

6. Tirar (finalmente!) a carta de condução

Muito, muito, muito feliz com este pontinho. O meu processo de tirar a carta foi um pouco prolongado porque mudei de escolas. Comecei a carta quando ainda estava a tirar a licenciatura em Évora e, quando voltei para casa para depois tirar Jornalismo em Lisboa, transferi a minha licença para a terrinha, onde permaneci até ao fim. 

Passei tanto no exame de código como no de condução à primeira, o que me deixou bastante feliz. Adoro conduzir e o facto de ter passado no último exame em Maio, dias depois do meu aniversário, fez-me pensar naquilo como uma prenda de mim para mim, depois de muitas aulas a aturar instrutores aborrecidos e finalmente ter a oportunidade de conduzir sempre que possível.



7. A minha festa de aniversário ~surpresa~

2017 foi o ano das festas surpresa para mim e para o meu grupo de amigos. Organizámos sempre uma festarola para toda a gente, sempre com alguma surpresa na manga para o aniversariante. Comigo não foi excepção, tendo ficado muito feliz por ter visto todos os meus amigos juntos para celebrarem comigo. 


8. O projecto Beauty Beyond Size e a resposta da blogosfera

Este projecto foi absolutamente maravilhoso de organizar, principalmente quando tive a oportunidade de ler todas as publicações das várias bloggers que participaram nesta ideia. Tal como mostra o título do projecto, o Beauty Beyond Size contou com opiniões e desabafos da perspectiva de várias pessoas sobre como somos mais do que um número e existe beleza sempre, seja com um número 36 ou com um 50. O meu objectivo era criar uma espécie de sensibilidade na blogosfera para o amor próprio e body representation, pois acredito que nós bloggers temos o dever e obrigação de abordar questões mais sensíveis. 

Aqui ficam as minhas duas publicações dedicadas ao Beauty Beyond Size:
E deixo-vos aqui algumas das minhas publicações favoritas de outras bloggers, cuja opinião e desabafo foram tão importantes e me deram a certeza que decidi abordar o tópico certo:


9. Ler 40 livros durante o ano todo (!!!)

Eu sei que já estou a tornar-me chatinha com isto, mas a verdade é que esta pequena-grande meta é muito importante para mim. Em 2016 não consegui concluir o meu desafio do Goodreads porque tinha de escrever uma série de trabalhos para a licenciatura que me preenchiam o tempo a 110%. Fiquei muito envergonhada porque acho que só cheguei a metade do objectivo por cumprir, o que fez com que me obrigasse a ver 2017 como o ano em que me entrego totalmente à leitura. 

Como não sei se vou conseguir cumprir novamente o desafio, já que 2018 vai ser o ano-de-escrever-e-entregar-a-tese-e-apresentá-la, ao menos fiquei feliz por saber que ainda consigo ler imenso, se estiver com isso na ideia. 

Para saberem mais sobre as minhas leituras favoritas, leiam esta minha última publicação aqui

10. Um ano de SHE WRITES/By the Library


Não quis celebrar este primeiro ano de blogue oficialmente porque mudei de domínio, apaguei muitas publicações antigas, mudei de Blogger para Wordpress para Blogger outra vez, mudei de mensagem naquilo que queria transmitir para vocês, leitores, enfim. Ainda assim, e mesmo perante todas estas mudanças, no dia 2 de Dezembro fez, efectivamente, um ano desde que voltei a pegar num blogue e comecei a escrever, um marco vital para mim enquanto escritora, depois de tantos anos inactiva por estas bandas. 

Eu sei que sou uma pessoa indecisa, que estas mudanças todas deixaram muita gente confusa e que provavelmente não me dão uma boa imagem enquanto blogger, mas precisava de as ter a todas por forma a definir a minha imagem e àquilo que queria realmente dedicar-me na escrita. Hoje, o By the Library é uma coisa híbrida esquisita entre book blog & lifestyle blog, mas é muito mais Sónia do que o She Writes, quase a 100% dedicado a lifestyle e muito pouco daquilo que me define: livros e cinema. 

Espero que 2018 seja ainda mais produtivo aqui para este meu cantinho, e que vocês continuem a aturar as minhas indecisões e temperamentos difíceis. Que venha mais um ano ❤


11. Mini-férias nas Minas de S. Domingos 


Não me querendo alongar muito neste ponto, foi um fim-de-semana que passou demasiado depressa mas onde me diverti bastante com os meus amigos. Dois casalinhos apaixonados seguiram para o interior de Portugal, com um calor desgraçado que rondava os 40º, mas que terminou num pequeno paraíso entre um hotel estilo palacete e uma praia fluvial deliciosa onde passámos momentos muito divertidos. Ah, e não fosse isto uma publicação típica minha, a comida do hotel era deliciosa. 

12. Finalmente admiti que preciso de ajuda 🙏


Isto foi um ponto extremamente importante para mim este ano, algo que me ajudou bastante a tornar 2017 um ano mais... decente no meio de tantos problemas. 

Não tenho problemas nenhuns em admitir às pessoas que não estou bem emocionalmente, não considero que mental health seja um tabu, antes pelo contrário - acho que precisa cada vez mais de ser falado. Ainda assim, demorei bastante tempo a admitir que estava mal psicologicamente porque não queria dar parte de fraca e achava, infelizmente, que com o tempo isto iria tudo passar. Já estou há alguns meses a participar em sessões de psicoterapia e, embora ainda não esteja à vontade para vos falar mais sobre o assunto, posso dizer-vos que estou num bom caminho. E que é importante admitir que precisamos de ajuda, seja ela de que tipo for. 

Se quiserem saber mais sobre esta questão, leiam este texto sobre o meu super-poder.

13. Concerto de Hang Massive

O ano terminou da melhor forma possível com um concerto pacífico, daqueles que enchem o coração e que nos fazem pedir por mais. Em Dezembro fui com a minha tia e mais dois amigos ver uma banda que toca um instrumento único, a hang pan. Hang Massive foi tudo aquilo que prometeu e muito mais, tendo sido um concerto relaxante que me encheu de boas energias para o ano novo. 

Se quiserem saber mais sobre a banda e o concerto, leiam este meu texto sobre as boas vibes que senti.

***

2017 foi um ano que me fez agradecer a sorte que tenho. Foi um ano onde tentei arranjar trabalho e não fui bem sucedida, onde abrir uma porta e descobri que tenho depressão, onde tive que aprender a lidar com este meu lado mais escuro ao mesmo tempo que aprendia a lidar com a rejeição em entrevistas de emprego e o desespero pela vontade de querer ser independente e ainda não ter conseguido arranjar forma de o fazer. Ao mesmo tempo, tive que resignar-me a fazer uma tese de Mestrado que simplesmente não queria fazer, tive que saber entender e lidar com os meus temperamentos mais depressivos e irritáveis e tive que crescer bastante para conseguir lidar com tudo isto. 

Há razões para agradecer, sim: no meio de tanta coisa má, consegui passear um bocadinho. Soube o valor da verdadeira amizade quando me vi numa fase particularmente negra da minha vida e tive pessoas que me obrigaram a sair da cama e a conviver. Tive pessoas que nunca desistiram de mim, que me quiseram fazer feliz, que trouxeram momentos muito bons ao meu quotidiano e me deram vontade de viver mais e melhor em 2018. 

A todas essas pessoas, obrigada. Vocês sabem quem são. 
E a mim, também. Por ter prevalecido, por me ter tornado na minha super-heroína. 

E sendo esta a primeira publicação de 2018... A todos, umas óptimas entradas! 😊


7 comments

  1. Sinto que foi um ano com momentos de encher o coração, mas que também contou com uma grande luta e auto-descoberta! Espero que 2018 seja maravilhoso e te traga aquilo que mais desejas :)
    Quanto ao teu top 13, espero mesmo que as entrevistas She for She regressem, porque é uma ideia fabulosa. Assim como o é projeto que mencionaste!

    ReplyDelete
    Replies
    1. E foi realmente tudo isso, Andreia! Também te desejo o melhor 2018 possível e que concretizes todos os teus sonhos e objectivos :)

      Tenho que ver se arranjo um bocadinho de coragem para recomeçar as entrevistas da SHE FOR SHE. Muito obrigada <3

      Delete
  2. Um bom ano para ti Sónia! Gosto muito do teu blog (atrevo-me a dizer que é o meu favorito em toda a blogosfera!) e foi um privilégio acompanhar-te em 2017! Beijinhos!!!

    Andreia, ALL THE BRIGHT PLACES

    ReplyDelete
    Replies
    1. Aiii, que responsabilidade essa de ser um dos teus favoritos da blogosfera! Nem sei o que dizer se não um obrigada do fundo do coração minha querida Andreia! :D

      Delete
  3. Sónia, parabéns por tantas coisas positivas, obstáculos e metas que conseguiste e ultrapassaste este ano. Admiro-te pela força em conseguires dar o passo difícil de pedir ajuda. Só isso é uma vitória e deve ser valorizada. Torço muito para que sejas bem acompanhada e para que faças um percurso positivo e enriquecedor.
    Estarei sempre aqui para algum desabafo a mais que queiras partilhar. Um enorme beijinho, com muita força :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Muito obrigada, Inês! É bom ler este tipo de comentários, aquecem-nos o coração. Vou ter todas as tuas palavras em conta <3 Por um ano melhor, com muita força e sonhos concretizados para ambas :)

      Delete

© by the library. Design by FCD.