31.10.17

Admitir que estamos mal é o nosso super-poder



Deixem-me falar-vos sobre Feyre Archeron, a personagem principal da última saga de literatura fantástica que ando a ler, A Court of Thorns and Roses (2015), por Sarah J. Maas. Feyre é uma humana que acaba na corte de Tamlin, um fae poderoso que a resgata de uma situação de pobreza e fome constante. O primeiro livro da saga mostra-nos uma Feyre que aprende a viver fora da vivência precária que teve antes de conhecer Tamlin que, por seu lado, dedica toda a sua atenção e dedicação a abrir os horizontes de Feyre quando estes lhe foram cortados desde muito cedo. Em Tamlin, Feyre conheceu não só um novo amor, como também um ser que queria saber dela, dando-lhe a atenção e protecção que ela sempre desejou. 

12.10.17

quando as pessoas te subestimarem, deixa que o façam


Estou habituada às pessoas que me olham e dizem que não sou alguém com capacidade para ser mais e melhor. Quer seja por ser rapariga, ou porque não me dou ao trabalho de esconder que não estou particularmente interessada em ser snob, toda a gente adora dizer como talvez não venha a ser tão bem sucedida como penso, falando de uma forma geral. 

Sabem o que é normalmente faço nesses casos? Sorrio. Mantenho-me calada. E espero. 

31.10.17

Admitir que estamos mal é o nosso super-poder



Deixem-me falar-vos sobre Feyre Archeron, a personagem principal da última saga de literatura fantástica que ando a ler, A Court of Thorns and Roses (2015), por Sarah J. Maas. Feyre é uma humana que acaba na corte de Tamlin, um fae poderoso que a resgata de uma situação de pobreza e fome constante. O primeiro livro da saga mostra-nos uma Feyre que aprende a viver fora da vivência precária que teve antes de conhecer Tamlin que, por seu lado, dedica toda a sua atenção e dedicação a abrir os horizontes de Feyre quando estes lhe foram cortados desde muito cedo. Em Tamlin, Feyre conheceu não só um novo amor, como também um ser que queria saber dela, dando-lhe a atenção e protecção que ela sempre desejou. 

12.10.17

quando as pessoas te subestimarem, deixa que o façam


Estou habituada às pessoas que me olham e dizem que não sou alguém com capacidade para ser mais e melhor. Quer seja por ser rapariga, ou porque não me dou ao trabalho de esconder que não estou particularmente interessada em ser snob, toda a gente adora dizer como talvez não venha a ser tão bem sucedida como penso, falando de uma forma geral. 

Sabem o que é normalmente faço nesses casos? Sorrio. Mantenho-me calada. E espero. 

© by the library. Design by FCD.