14.12.17

MÚSICA // Hang Massive: uma Paixão Improvável

LAV - Lisboa ao Vivo, Lisboa


Tenho uma relação muito peculiar com a música. Posso estar dias sem ouvir uma única música, como posso estar uma semana inteira em modo non-stop com a ajuda do Spotify ou do Youtube. Posso estar em modo rock, a sentir-me mais próxima do indie ou simplesmente apetecer-me dançar e entregar-me ao kizomba ou reggaeton. Sinto que tenho esta vantagem de gostar de tudo um pouco, o que me dá liberdade para apreciar todos os estilos de música e estar sempre confortável com qualquer tipo de grupo, ouvindo qualquer tipo de música. 

O que eu não esperava, contudo, era sentir essa versatilidade numa banda que, por ser tão especial, podia muito bem ser inserida num estereótipo e ser daquele tipo de música que é mencionada pelo menos uma vez na vida como "não é, de todo, para toda a gente". Hang Massive é exactamente o oposto disso: dedicada a um género único e lindíssimo, que nos transmite uma paz de espírito inexplicável e que é para todos... Até mesmo aqueles que pensam o contrário.

7.12.17

MOVIE 36


Vou confessar-me: não vejo praticamente filmes nenhuns. Quando tenho hipótese, prefiro sempre ver uma série com a desculpa de que "demora menos tempo". Sim, eu sei, é uma grande treta tendo em conta que 90% das vezes vejo aos seis episódios de cada vez, quase o dobro do tempo que um filme demora. Mas, no more! Graças ao novo desafio proposto pela Carolayne, sei que isto vai mudar.

28.11.17

Fantasia... Um Amor Até aos 90 Anos



Lembro-me como se fosse ontem: a expectativa, o coração a bater rápido à medida que a hora de abrir os presentes se aproximava. Nunca era realmente à meia-noite, porque ninguém aguentava até essa hora, principalmente com as minhas perguntas incessantes. Os Natais passaram a ser diferentes depois de receber o primeiro livro - já sabia que nesse pacote cuidadosamente embrulhado da Bertrand encontrava-se a minha próxima aventura. O meu primeiro amor no género fantástico.



25.11.17

REVIEWS #2 // "Throne of Glass", por Sarah J. Maas



Depois do quão apaixonada fiquei com a saga A Court of Thrones and Roses (2015), obviamente tive que ir procurar outros livros da mesma escritora que já tem um lugar muito especial no meu coração, Sarah J. Maas. Confesso que achei automaticamente difícil haver outra série de livros dela pela qual eu me conseguisse viciar tão facilmente como foi com ACOTAR, mas depois de algumas semanas em modo hangover, onde ressaquei e ressaquei ao ver fanart da saga no Pinterest e no Tumblr (sou muito nerd, eu sei), finalmente entreguei-me a Throne of Glass (2012)

Não foi nada do que eu estava à espera, tenho que admitir. O que, ao mesmo tempo, foi bom e mau.


24.11.17

SÉRIES // Mindhunter (2017), das séries que arrepiam


20.11.17

LIVROS // 4 Clássicos da Literatura que toda a gente adora e eu... Detesto



Alguém me vai matar. Em minha própria defesa, tenho que vos dizer que é mesmo muito difícil para mim não gostar de um livro. Sou o tipo de pessoa que consegue arranjar sempre algo positivo a dizer sobre uma obra, admitindo que se não foi do meu agrado é apenas natural, porque não podemos gostar todos de amarelo (já agora, gosto muito de amarelo). 

16.11.17

tenho saudades do que era ser blogger antigamente...


Embora o By the Library seja relativamente novo na comunidade - muito mais do que o SHE WRITES, nome antigo do blogue, antes de o remodelar há sensivelmente três meses atrás, a verdade é que faço parte do blogging world desde os meus 13 anos, altura em que fiz o meu primeiro blogue, uma página sem jeito nenhum onde escrevia poemas pirosos que tinham obrigatoriamente que rimar verso sim, verso não. 

É talvez por ter vindo a acompanhar o desenvolvimento daquilo que é ser blogger, que sinto toda uma nostalgia pelo antigamente, sentindo que este mundo perdeu parte do seu encanto - e que cabe a nós, bloggers que ainda acreditam neste pedacinho virtual, revitalizar e reconstruir as noções que têm surgido nos últimos tempos.

14.11.17

LIVROS // Rupi Kaur: Poesia que me chega ao coração



Follow my blog with Bloglovin

Quando li Comer, Orar, Amar (2010) de Elizabeth Gilbert pela primeira vez foi, na altura, um livro necessário e que me permitiu crescer, passando a ser um dos meus livros mais queridos. Mais tarde, na universidade, emprestei-o a uma amiga minha e sei que ela não achou o livro nada de especial. Não me admirei, pois acredito que há certos livros que têm o seu impacto em alturas específicas das nossas vidas, enquanto que se os lêssemos noutra altura, não teriam o mesmo significado. 

Tendo em conta as opiniões variadas que tenho lido em relação a Rupi Kaur e a sua escrita, não me admira que a sua poesia seja algo semelhante ao impacto que o livro de Elizabeth Gilbert teve em mim, enquanto que com outros não transmite absolutamente nada. Só vos consigo dizer que todos os seus poemas me chegam ao coração, parecendo encaixar na altura certa.


7.11.17

Feltros da Deia: Inauguração da Lojinha para Crianças

Montemor-O-Novo

Quem me lê desde a criação do SHE WRITES, talvez se lembre também do giveaway que organizei por altura do Dia da Mãe com a Andreia, que na altura tinha apenas uma página no Facebook onde vendia as suas criações em feltro e tecido. É com muito orgulho e muuuuita alegria que vos digo que o que começou como um pequeno negócio denominado Feltros da Deia subiu a fasquia! Pois é, foi no fim-de-semana passado que a Andreia inaugurou a sua loja em Montemor-O-Novo e claro que estive lá para vos contar tudo. 

2.11.17

Favoritos de Outubro


... No mundo ficcional, claro. Embora já saibam porque é que tenho andado ausente aqui pelo blogue, a verdade é que me tenho entregado à ficção como forma de fugir à realidade. Tenho lido muito, visto imensas séries e até um filme (sim, um filme!, pois é cada vez mais raro para mim vê-los, preferindo muito mais séries). Acho que é a altura ideal para vos falar dos meus favoritos deste mês, tudo a nível ficcional, tal como eu gosto.

31.10.17

Admitir que estamos mal é o nosso super-poder



Deixem-me falar-vos sobre Feyre Archeron, a personagem principal da última saga de literatura fantástica que ando a ler, A Court of Thorns and Roses (2015), por Sarah J. Maas. Feyre é uma humana que acaba na corte de Tamlin, um fae poderoso que a resgata de uma situação de pobreza e fome constante. O primeiro livro da saga mostra-nos uma Feyre que aprende a viver fora da vivência precária que teve antes de conhecer Tamlin que, por seu lado, dedica toda a sua atenção e dedicação a abrir os horizontes de Feyre quando estes lhe foram cortados desde muito cedo. Em Tamlin, Feyre conheceu não só um novo amor, como também um ser que queria saber dela, dando-lhe a atenção e protecção que ela sempre desejou. 

12.10.17

quando as pessoas te subestimarem, deixa que o façam


Estou habituada às pessoas que me olham e dizem que não sou alguém com capacidade para ser mais e melhor. Quer seja por ser rapariga, ou porque não me dou ao trabalho de esconder que não estou particularmente interessada em ser snob, toda a gente adora dizer como talvez não venha a ser tão bem sucedida como penso, falando de uma forma geral. 

Sabem o que é normalmente faço nesses casos? Sorrio. Mantenho-me calada. E espero. 

25.9.17

LIVROS // "A Grande Magia" de Elizabeth Gilbert: A Próxima Leitura Obrigatória


Certos livros são extremamente importantes dependendo da altura em que decidem aparecer nas nossas vidas. Por exemplo: Comer, Orar, Amar (2006) de Elizabeth Gilbert teve um impacto absurdo no meu ser de 16 anos. Sentia-me tão perdida quanto é possível para uma adolescente (obviamente) e senti-o como algo capaz de mudar a minha vida.

Bem, parece que esta autora tem uma maneira de aparecer quando preciso desesperadamente dela; A Grande Magia (2015) tornou-se um dos meus livros favoritos assim que acabei de o ler. Eis o porquê.

20.9.17

REVIEWS #1 // "Outlander" por Diana Gabaldon


Oh. Meu. Deus. Este livro... Eu nem tenho palavras para este livro. Nem sequer sei como fazer esta review sem parecer uma daquelas fãs esquisitas e obcecadas. Até porque sou uma dessas fãs. Já o viram em primeira mão quando falei sobre a série e agora aqui estou eu a falar do livro. Outra vez, Sónia? Bem, meus amigos, se começaram a ler e/ou ver a série, vão perceber porquê

14.9.17

BOOK WISHLISTS #1 // 10 Livros para ler neste Outono


Eu sei que provavelmente não vou conseguir ler todos estes livros no Outono que vem, mas precisava de um título e aqui estamos nós. Tenho a sensação que vou escrever muitas publicações em modo wishlist porque, bem, estou à procura de novos livros no Goodreads constantemente e a minha estante to-read é na verdade um suspiro que diz preciso-de-mais-dinheiro-para-comprar-livros. Enfim. 

Aqui vos deixo 10 livros que adorava ler este Outono, ou 10 livros que o meu namorado precisa de prestar atenção e comprá-los para mim (vale a pena tentar, certo?). 

12.9.17

a minha obsessão mais recente: outlander


Vocês sabem quando estão a começar uma nova série e nas semanas a seguir não conseguem parar de falar sobre ela? Pois bem, eu tenho noção que já ultrapassei a linha que separa o divertimento da irritação, pois o meu namorado e os meus amigos já não conseguem ouvir-me falar de Outlander. Ando a ver a série, comprei recentemente o primeiro livro e parece que a minha vida gira à volta do romance intemporal de Claire com Jamie Fraser. Culpada, tão culpada.

22.8.17

o meu corpo e as minhas roupas pertencem-me


Há certas pessoas capazes de nos inspirar a escrever sobre assuntos importantes. Como vocês bem sabem, o projecto BEAUTY BEYOND SIZE continua activo e a receber participações de várias bloggers. Contudo, foi este texto maravilhoso da Carolayne que me incitou a escrever sobre o mesmo tema que ela: o poder que uma peça de roupa tem na nossa vida.

14.8.17

mini-férias no interior do alentejo

Mina de São Domingos, 7750-135 Achada do Gamo, Portugal

Isto foi a escapadela perfeita para quatro pessoas. Aproveitámos um fim-de-semana de calor intenso e fomos descobrir o nosso Portugal. Pela primeira vez fugi das praias e das cidades históricas e fui dar por mim em pleno Alentejo.

Juntamente com mais um casal amigo, eu e o Daniel ficámos a conhecer a aldeia Mina de S. Domingos, no concelho de Mértola, um sítio muito tranquilo que serviu perfeitamente para três dias de descanso.


19.7.17

the quest of succeeding in life


As minhas últimas duas semanas têm sido... interessantes. Todos os dias abro sete separadores diferentes à procura de um trabalho. Todos os dias desespero e começo a questionar-me se não vou ser daquelas pessoas que estão anos a tentar arranjar emprego. Curiosamente, estas duas semanas também têm servido para me questionar a mim mesma e conhecer-me um pouco melhor.

Já cheguei a duas conclusões: estou a encontrar-me no meio disto tudo. E estou chateada com o meu país. 

8.7.17

não gosto de mim, mas quero muito mudar isso


Acham contraditório eu começar um projecto sobre aceitação e auto-estima quando nem sequer consigo dizer em pleno que me aceito, que me amo por completo? Eu acho que é precisamente por isso que é um movimento tão importante.

É assim que, dentro do BEAUTY BEYOND SIZE, começo com este desabafo.
Sobre como não me amo, mas quero muito amar-me.

15.5.17

SHE FOR SHE // #4 Meet Sofia



Depois da tempestade, a bonança. Foi assim que Montemor-O-Novo me recebeu a mim e à Sofia, a menina do mês de Maio do meu projecto favorito, SHE FOR SHE. Depois de uma noite chuvosa, o campo colorido e primaveril permitiu-nos fazer a sessão fotográfica cujo resultado simplesmente adorei. Com a Sofia é fácil conversar, fazer poses e rir durante todo o processo. Ela sempre me deu este sorriso bonito que podemos ver nas fotos e, mais tarde, quando fomos conversar sobre a mulher que ela é, começamos a rir e acabámos a chorar. Vamos descobrir porquê?



24.4.17

SHE FOR SHE // #3 Meet Xana


O SHE FOR SHE deste mês veio um bocadinho mais tarde, mas ainda dentro de um Abril cheio de sol e super primaveril. Tal como o mês de Março foi dedicado à Liliana, Abril pertence à Xana, que sempre me recebeu com um sorriso doce, que sempre me fez rir e cuja história, que hoje aqui vos apresento, considero ser importante para abrir mentalidades e oferecer um futuro mais tranquilo a quem mais precisa dele.

SHE FOR SHE came a little late this month, but still in time for April filled with this delicious vernal sun. This will be the first post in this project where I'll be writing in English, so in a quick summary, let me explain what SHE FOR SHE is about: each month I intend to talk with a woman of my choosing, doing a small photoshoot and interviewing her in order to learn a bit more about her life. With this, I want to celebrate women and all they have to offer to the world, showing that we all have a story worth telling, if we take time for it. March was dedicated to Liliana and April belongs to Xana, a person that always came to me with a sweet smile, a person that always made me laugh and whose story, that I present to you, consider to be really important in order to change mentalities and offer a more peaceful future to those who need it the most. 



10.4.17

My struggles as a writer



Ser escritor(a) é talvez das profissões mais complexas que existem. Seja enquanto jornalista ou académico, como poeta ou blogger, escrever é das actividades mais ingratas e, ao mesmo tempo, das mais gratificantes. Parece contraditório, não parece? Mas a verdade é que, muitas vezes, parece que a escrita não é algo que realmente nos pertence, mas que vai e vem comandada por outras forças, exteriores a nós mesmos. Escrever sobre o que é escrever é ainda mais complicado, mas é sobre isso que vos quero falar hoje - as dificuldades que sinto enquanto escritora.


Being a writer is perhaps one of the most complex professions in existence. Whether as a journalist or in academic studies, as a poet or as a blogger, writing is one of the most ungrateful, yet rewarding activities. Sounds conflicting, doesn't it? But the truth is that, many times, it feels like writing isn't something that truly belongs to us, but that comes and goes commanded by external forces. Writing about what it is writing is even more complicated, but it's what I want to talk about with you today - the struggles I feel as a writer.

 

 

29.3.17

5 Helpful Websites/Apps for Bloggers


Seja para quem ainda está a começar o seu blogue ou para quem já o tem há algum tempo mas sente que qualquer coisa está em falta, decidi fazer esta pequena lista com alguns dos websites e apps que considero de eleição e que sempre me ajudaram enquanto blogger. A maior parte pode já ser conhecida pela blogosfera, mas gosto de ajudar e partilhar, sem segredos.


Whether for someone who just started their blog or for someone who's been here for a while but feels like there's something missing, I've decided to come up with a small list of my favorite websites and apps that I consider to be essential and have always helped me as a blogger. Most of them are probably well known in the blogosphere, but I'm always there to help and share, without secrets.



28.3.17

SHE FOR SHE #2: Meet Liliana



O mês de Março é dedicado à Liliana, amiga que remonta aos tempos de escola, não daqueles que começam na infância, mas que estão de braço dado com os primeiros namoros, primeiras festas, primeiras aventuras-que-servem-para-crescer. Já vão sete, oito anos (?) de amizade com esta mulher que continua a inaugurar o meu projecto de 2017, o SHE FOR SHE, depois de o mês de Fevereiro ter sido dedicado à mulher da minha vida, a minha mãe, como podem ver aqui (desde já um grande obrigada ao feedback excelente que recebi com essa primeira publicação, é tão bom receber do outro lado uma resposta tão positiva!).


Com o desenvolvimento da rubrica, pretendo procurar mulheres distantes do meu coração, com histórias bonitas, histórias que valem a pena. No entanto, é injusto chegar até elas sem antes valorizar quem está bem pertinho de mim, como é o caso da Liliana, uma das pessoas que mais admiro pela sua força, persistência, cujo sorriso bonito faz com que ninguém se aperceba do que já se passou, de como conseguiu chegar até hoje.



13.2.17

SHE FOR SHE #1: Meet Mommy


Para quem não sabe, iniciei uma nova rubrica aqui no blogue denominada SHE FOR SHE. O objectivo é contar a história de uma pessoa do sexo feminino, mostrar que todas as mulheres merecem ser celebradas, nem que seja através de algo tão simples quanto uma sessão fotográfica, uma troca de palavras.


A primeira pessoa que escolhi, obviamente, foi a minha mãe. SHE FOR SHE, na sua tradução, apela a uma dedicação de ela para ela, uma dedicação que, de uma maneira ou de outra, a minha mãe sempre tentou arranjar para mim. Sempre fomos uma mãe&filha muito peculiares, com uma relação muito distinta mas sempre muito sentida. Nunca fui muito boa a expressar-me oralmente, mas sempre consegui comunicar melhor através das palavras. Enquanto escritora, muitas vezes considerei aquilo que escrevo como uma maneira de chegarem ao meu coração, um género de presente para quem tem tantas dificuldades em compreender-me no dia-a-dia (acreditem, feitio lixado!).


Embora este projecto tenha como grande resolução mostrá-las a elas, ao bom que elas têm, à beleza que sempre tiveram e muitas vezes não conseguiram ver, esta primeira publicação é uma forma da minha mãe conseguir perceber o quão importante e bonita ela é através dos meus olhos, seja através do que consegui captar nas fotografias que lhe tirei, seja na construção daquilo que captei da nossa conversa





14.12.17

MÚSICA // Hang Massive: uma Paixão Improvável

LAV - Lisboa ao Vivo, Lisboa


Tenho uma relação muito peculiar com a música. Posso estar dias sem ouvir uma única música, como posso estar uma semana inteira em modo non-stop com a ajuda do Spotify ou do Youtube. Posso estar em modo rock, a sentir-me mais próxima do indie ou simplesmente apetecer-me dançar e entregar-me ao kizomba ou reggaeton. Sinto que tenho esta vantagem de gostar de tudo um pouco, o que me dá liberdade para apreciar todos os estilos de música e estar sempre confortável com qualquer tipo de grupo, ouvindo qualquer tipo de música. 

O que eu não esperava, contudo, era sentir essa versatilidade numa banda que, por ser tão especial, podia muito bem ser inserida num estereótipo e ser daquele tipo de música que é mencionada pelo menos uma vez na vida como "não é, de todo, para toda a gente". Hang Massive é exactamente o oposto disso: dedicada a um género único e lindíssimo, que nos transmite uma paz de espírito inexplicável e que é para todos... Até mesmo aqueles que pensam o contrário.

7.12.17

MOVIE 36


Vou confessar-me: não vejo praticamente filmes nenhuns. Quando tenho hipótese, prefiro sempre ver uma série com a desculpa de que "demora menos tempo". Sim, eu sei, é uma grande treta tendo em conta que 90% das vezes vejo aos seis episódios de cada vez, quase o dobro do tempo que um filme demora. Mas, no more! Graças ao novo desafio proposto pela Carolayne, sei que isto vai mudar.

28.11.17

Fantasia... Um Amor Até aos 90 Anos



Lembro-me como se fosse ontem: a expectativa, o coração a bater rápido à medida que a hora de abrir os presentes se aproximava. Nunca era realmente à meia-noite, porque ninguém aguentava até essa hora, principalmente com as minhas perguntas incessantes. Os Natais passaram a ser diferentes depois de receber o primeiro livro - já sabia que nesse pacote cuidadosamente embrulhado da Bertrand encontrava-se a minha próxima aventura. O meu primeiro amor no género fantástico.



25.11.17

REVIEWS #2 // "Throne of Glass", por Sarah J. Maas



Depois do quão apaixonada fiquei com a saga A Court of Thrones and Roses (2015), obviamente tive que ir procurar outros livros da mesma escritora que já tem um lugar muito especial no meu coração, Sarah J. Maas. Confesso que achei automaticamente difícil haver outra série de livros dela pela qual eu me conseguisse viciar tão facilmente como foi com ACOTAR, mas depois de algumas semanas em modo hangover, onde ressaquei e ressaquei ao ver fanart da saga no Pinterest e no Tumblr (sou muito nerd, eu sei), finalmente entreguei-me a Throne of Glass (2012)

Não foi nada do que eu estava à espera, tenho que admitir. O que, ao mesmo tempo, foi bom e mau.


24.11.17

SÉRIES // Mindhunter (2017), das séries que arrepiam


20.11.17

LIVROS // 4 Clássicos da Literatura que toda a gente adora e eu... Detesto



Alguém me vai matar. Em minha própria defesa, tenho que vos dizer que é mesmo muito difícil para mim não gostar de um livro. Sou o tipo de pessoa que consegue arranjar sempre algo positivo a dizer sobre uma obra, admitindo que se não foi do meu agrado é apenas natural, porque não podemos gostar todos de amarelo (já agora, gosto muito de amarelo). 

16.11.17

tenho saudades do que era ser blogger antigamente...


Embora o By the Library seja relativamente novo na comunidade - muito mais do que o SHE WRITES, nome antigo do blogue, antes de o remodelar há sensivelmente três meses atrás, a verdade é que faço parte do blogging world desde os meus 13 anos, altura em que fiz o meu primeiro blogue, uma página sem jeito nenhum onde escrevia poemas pirosos que tinham obrigatoriamente que rimar verso sim, verso não. 

É talvez por ter vindo a acompanhar o desenvolvimento daquilo que é ser blogger, que sinto toda uma nostalgia pelo antigamente, sentindo que este mundo perdeu parte do seu encanto - e que cabe a nós, bloggers que ainda acreditam neste pedacinho virtual, revitalizar e reconstruir as noções que têm surgido nos últimos tempos.

14.11.17

LIVROS // Rupi Kaur: Poesia que me chega ao coração



Follow my blog with Bloglovin

Quando li Comer, Orar, Amar (2010) de Elizabeth Gilbert pela primeira vez foi, na altura, um livro necessário e que me permitiu crescer, passando a ser um dos meus livros mais queridos. Mais tarde, na universidade, emprestei-o a uma amiga minha e sei que ela não achou o livro nada de especial. Não me admirei, pois acredito que há certos livros que têm o seu impacto em alturas específicas das nossas vidas, enquanto que se os lêssemos noutra altura, não teriam o mesmo significado. 

Tendo em conta as opiniões variadas que tenho lido em relação a Rupi Kaur e a sua escrita, não me admira que a sua poesia seja algo semelhante ao impacto que o livro de Elizabeth Gilbert teve em mim, enquanto que com outros não transmite absolutamente nada. Só vos consigo dizer que todos os seus poemas me chegam ao coração, parecendo encaixar na altura certa.


7.11.17

Feltros da Deia: Inauguração da Lojinha para Crianças

Montemor-O-Novo

Quem me lê desde a criação do SHE WRITES, talvez se lembre também do giveaway que organizei por altura do Dia da Mãe com a Andreia, que na altura tinha apenas uma página no Facebook onde vendia as suas criações em feltro e tecido. É com muito orgulho e muuuuita alegria que vos digo que o que começou como um pequeno negócio denominado Feltros da Deia subiu a fasquia! Pois é, foi no fim-de-semana passado que a Andreia inaugurou a sua loja em Montemor-O-Novo e claro que estive lá para vos contar tudo. 

2.11.17

Favoritos de Outubro


... No mundo ficcional, claro. Embora já saibam porque é que tenho andado ausente aqui pelo blogue, a verdade é que me tenho entregado à ficção como forma de fugir à realidade. Tenho lido muito, visto imensas séries e até um filme (sim, um filme!, pois é cada vez mais raro para mim vê-los, preferindo muito mais séries). Acho que é a altura ideal para vos falar dos meus favoritos deste mês, tudo a nível ficcional, tal como eu gosto.

31.10.17

Admitir que estamos mal é o nosso super-poder



Deixem-me falar-vos sobre Feyre Archeron, a personagem principal da última saga de literatura fantástica que ando a ler, A Court of Thorns and Roses (2015), por Sarah J. Maas. Feyre é uma humana que acaba na corte de Tamlin, um fae poderoso que a resgata de uma situação de pobreza e fome constante. O primeiro livro da saga mostra-nos uma Feyre que aprende a viver fora da vivência precária que teve antes de conhecer Tamlin que, por seu lado, dedica toda a sua atenção e dedicação a abrir os horizontes de Feyre quando estes lhe foram cortados desde muito cedo. Em Tamlin, Feyre conheceu não só um novo amor, como também um ser que queria saber dela, dando-lhe a atenção e protecção que ela sempre desejou. 

12.10.17

quando as pessoas te subestimarem, deixa que o façam


Estou habituada às pessoas que me olham e dizem que não sou alguém com capacidade para ser mais e melhor. Quer seja por ser rapariga, ou porque não me dou ao trabalho de esconder que não estou particularmente interessada em ser snob, toda a gente adora dizer como talvez não venha a ser tão bem sucedida como penso, falando de uma forma geral. 

Sabem o que é normalmente faço nesses casos? Sorrio. Mantenho-me calada. E espero. 

25.9.17

LIVROS // "A Grande Magia" de Elizabeth Gilbert: A Próxima Leitura Obrigatória


Certos livros são extremamente importantes dependendo da altura em que decidem aparecer nas nossas vidas. Por exemplo: Comer, Orar, Amar (2006) de Elizabeth Gilbert teve um impacto absurdo no meu ser de 16 anos. Sentia-me tão perdida quanto é possível para uma adolescente (obviamente) e senti-o como algo capaz de mudar a minha vida.

Bem, parece que esta autora tem uma maneira de aparecer quando preciso desesperadamente dela; A Grande Magia (2015) tornou-se um dos meus livros favoritos assim que acabei de o ler. Eis o porquê.

20.9.17

REVIEWS #1 // "Outlander" por Diana Gabaldon


Oh. Meu. Deus. Este livro... Eu nem tenho palavras para este livro. Nem sequer sei como fazer esta review sem parecer uma daquelas fãs esquisitas e obcecadas. Até porque sou uma dessas fãs. Já o viram em primeira mão quando falei sobre a série e agora aqui estou eu a falar do livro. Outra vez, Sónia? Bem, meus amigos, se começaram a ler e/ou ver a série, vão perceber porquê

14.9.17

BOOK WISHLISTS #1 // 10 Livros para ler neste Outono


Eu sei que provavelmente não vou conseguir ler todos estes livros no Outono que vem, mas precisava de um título e aqui estamos nós. Tenho a sensação que vou escrever muitas publicações em modo wishlist porque, bem, estou à procura de novos livros no Goodreads constantemente e a minha estante to-read é na verdade um suspiro que diz preciso-de-mais-dinheiro-para-comprar-livros. Enfim. 

Aqui vos deixo 10 livros que adorava ler este Outono, ou 10 livros que o meu namorado precisa de prestar atenção e comprá-los para mim (vale a pena tentar, certo?). 

12.9.17

a minha obsessão mais recente: outlander


Vocês sabem quando estão a começar uma nova série e nas semanas a seguir não conseguem parar de falar sobre ela? Pois bem, eu tenho noção que já ultrapassei a linha que separa o divertimento da irritação, pois o meu namorado e os meus amigos já não conseguem ouvir-me falar de Outlander. Ando a ver a série, comprei recentemente o primeiro livro e parece que a minha vida gira à volta do romance intemporal de Claire com Jamie Fraser. Culpada, tão culpada.

22.8.17

o meu corpo e as minhas roupas pertencem-me


Há certas pessoas capazes de nos inspirar a escrever sobre assuntos importantes. Como vocês bem sabem, o projecto BEAUTY BEYOND SIZE continua activo e a receber participações de várias bloggers. Contudo, foi este texto maravilhoso da Carolayne que me incitou a escrever sobre o mesmo tema que ela: o poder que uma peça de roupa tem na nossa vida.

14.8.17

mini-férias no interior do alentejo

Mina de São Domingos, 7750-135 Achada do Gamo, Portugal

Isto foi a escapadela perfeita para quatro pessoas. Aproveitámos um fim-de-semana de calor intenso e fomos descobrir o nosso Portugal. Pela primeira vez fugi das praias e das cidades históricas e fui dar por mim em pleno Alentejo.

Juntamente com mais um casal amigo, eu e o Daniel ficámos a conhecer a aldeia Mina de S. Domingos, no concelho de Mértola, um sítio muito tranquilo que serviu perfeitamente para três dias de descanso.


19.7.17

the quest of succeeding in life


As minhas últimas duas semanas têm sido... interessantes. Todos os dias abro sete separadores diferentes à procura de um trabalho. Todos os dias desespero e começo a questionar-me se não vou ser daquelas pessoas que estão anos a tentar arranjar emprego. Curiosamente, estas duas semanas também têm servido para me questionar a mim mesma e conhecer-me um pouco melhor.

Já cheguei a duas conclusões: estou a encontrar-me no meio disto tudo. E estou chateada com o meu país. 

8.7.17

não gosto de mim, mas quero muito mudar isso


Acham contraditório eu começar um projecto sobre aceitação e auto-estima quando nem sequer consigo dizer em pleno que me aceito, que me amo por completo? Eu acho que é precisamente por isso que é um movimento tão importante.

É assim que, dentro do BEAUTY BEYOND SIZE, começo com este desabafo.
Sobre como não me amo, mas quero muito amar-me.

15.5.17

SHE FOR SHE // #4 Meet Sofia



Depois da tempestade, a bonança. Foi assim que Montemor-O-Novo me recebeu a mim e à Sofia, a menina do mês de Maio do meu projecto favorito, SHE FOR SHE. Depois de uma noite chuvosa, o campo colorido e primaveril permitiu-nos fazer a sessão fotográfica cujo resultado simplesmente adorei. Com a Sofia é fácil conversar, fazer poses e rir durante todo o processo. Ela sempre me deu este sorriso bonito que podemos ver nas fotos e, mais tarde, quando fomos conversar sobre a mulher que ela é, começamos a rir e acabámos a chorar. Vamos descobrir porquê?



24.4.17

SHE FOR SHE // #3 Meet Xana


O SHE FOR SHE deste mês veio um bocadinho mais tarde, mas ainda dentro de um Abril cheio de sol e super primaveril. Tal como o mês de Março foi dedicado à Liliana, Abril pertence à Xana, que sempre me recebeu com um sorriso doce, que sempre me fez rir e cuja história, que hoje aqui vos apresento, considero ser importante para abrir mentalidades e oferecer um futuro mais tranquilo a quem mais precisa dele.

SHE FOR SHE came a little late this month, but still in time for April filled with this delicious vernal sun. This will be the first post in this project where I'll be writing in English, so in a quick summary, let me explain what SHE FOR SHE is about: each month I intend to talk with a woman of my choosing, doing a small photoshoot and interviewing her in order to learn a bit more about her life. With this, I want to celebrate women and all they have to offer to the world, showing that we all have a story worth telling, if we take time for it. March was dedicated to Liliana and April belongs to Xana, a person that always came to me with a sweet smile, a person that always made me laugh and whose story, that I present to you, consider to be really important in order to change mentalities and offer a more peaceful future to those who need it the most. 



10.4.17

My struggles as a writer



Ser escritor(a) é talvez das profissões mais complexas que existem. Seja enquanto jornalista ou académico, como poeta ou blogger, escrever é das actividades mais ingratas e, ao mesmo tempo, das mais gratificantes. Parece contraditório, não parece? Mas a verdade é que, muitas vezes, parece que a escrita não é algo que realmente nos pertence, mas que vai e vem comandada por outras forças, exteriores a nós mesmos. Escrever sobre o que é escrever é ainda mais complicado, mas é sobre isso que vos quero falar hoje - as dificuldades que sinto enquanto escritora.


Being a writer is perhaps one of the most complex professions in existence. Whether as a journalist or in academic studies, as a poet or as a blogger, writing is one of the most ungrateful, yet rewarding activities. Sounds conflicting, doesn't it? But the truth is that, many times, it feels like writing isn't something that truly belongs to us, but that comes and goes commanded by external forces. Writing about what it is writing is even more complicated, but it's what I want to talk about with you today - the struggles I feel as a writer.

 

 

29.3.17

5 Helpful Websites/Apps for Bloggers


Seja para quem ainda está a começar o seu blogue ou para quem já o tem há algum tempo mas sente que qualquer coisa está em falta, decidi fazer esta pequena lista com alguns dos websites e apps que considero de eleição e que sempre me ajudaram enquanto blogger. A maior parte pode já ser conhecida pela blogosfera, mas gosto de ajudar e partilhar, sem segredos.


Whether for someone who just started their blog or for someone who's been here for a while but feels like there's something missing, I've decided to come up with a small list of my favorite websites and apps that I consider to be essential and have always helped me as a blogger. Most of them are probably well known in the blogosphere, but I'm always there to help and share, without secrets.



28.3.17

SHE FOR SHE #2: Meet Liliana



O mês de Março é dedicado à Liliana, amiga que remonta aos tempos de escola, não daqueles que começam na infância, mas que estão de braço dado com os primeiros namoros, primeiras festas, primeiras aventuras-que-servem-para-crescer. Já vão sete, oito anos (?) de amizade com esta mulher que continua a inaugurar o meu projecto de 2017, o SHE FOR SHE, depois de o mês de Fevereiro ter sido dedicado à mulher da minha vida, a minha mãe, como podem ver aqui (desde já um grande obrigada ao feedback excelente que recebi com essa primeira publicação, é tão bom receber do outro lado uma resposta tão positiva!).


Com o desenvolvimento da rubrica, pretendo procurar mulheres distantes do meu coração, com histórias bonitas, histórias que valem a pena. No entanto, é injusto chegar até elas sem antes valorizar quem está bem pertinho de mim, como é o caso da Liliana, uma das pessoas que mais admiro pela sua força, persistência, cujo sorriso bonito faz com que ninguém se aperceba do que já se passou, de como conseguiu chegar até hoje.



13.2.17

SHE FOR SHE #1: Meet Mommy


Para quem não sabe, iniciei uma nova rubrica aqui no blogue denominada SHE FOR SHE. O objectivo é contar a história de uma pessoa do sexo feminino, mostrar que todas as mulheres merecem ser celebradas, nem que seja através de algo tão simples quanto uma sessão fotográfica, uma troca de palavras.


A primeira pessoa que escolhi, obviamente, foi a minha mãe. SHE FOR SHE, na sua tradução, apela a uma dedicação de ela para ela, uma dedicação que, de uma maneira ou de outra, a minha mãe sempre tentou arranjar para mim. Sempre fomos uma mãe&filha muito peculiares, com uma relação muito distinta mas sempre muito sentida. Nunca fui muito boa a expressar-me oralmente, mas sempre consegui comunicar melhor através das palavras. Enquanto escritora, muitas vezes considerei aquilo que escrevo como uma maneira de chegarem ao meu coração, um género de presente para quem tem tantas dificuldades em compreender-me no dia-a-dia (acreditem, feitio lixado!).


Embora este projecto tenha como grande resolução mostrá-las a elas, ao bom que elas têm, à beleza que sempre tiveram e muitas vezes não conseguiram ver, esta primeira publicação é uma forma da minha mãe conseguir perceber o quão importante e bonita ela é através dos meus olhos, seja através do que consegui captar nas fotografias que lhe tirei, seja na construção daquilo que captei da nossa conversa





© by the library. Design by FCD.